7 dicas para o seu currículo ser mais atrativo

Posted Leave a commentPosted in Cursos do Clube, Mercado de Trabalho, Produtividade
Um currículo atrativo pode ser uma das formas para se diferenciar da concorrência na busca por  recolocação no mercado de trabalho. O ano de 2019  já está aí e listamos algumas sugestões para deixar o seu currículo mais convidativo.

A dificuldade de ser admitido em meio à instabilidade econômica do Brasil tem um efeito incontornável: além de apostar como nunca em qualificação, é preciso fazer uso de recursos cada vez mais inovadores e sofisticados para se diferenciar da concorrência. A disputa por um emprego já começa no método de elaboração do currículo. A maneira e o conteúdo do documento compõem o “cartão de visitas” de um profissional: a depender desses fatores, o recrutador pode eliminá-lo de imediato ou resolver chamá-lo para uma entrevista.

Além de uma estrutura adequada, o CV precisa ter certos atributos para despertar a atenção do headhunter, estimular uma leitura mais atenta e expressar rapidamente o potencial do candidato para preencher a vaga.

Segundo alguns recrutadores existem algumas estratégias que tornam o documento mais atrativo. Confira a seguir:

1. Elabore listas ao invés de parágrafos

Segundo Lucas Nogueira, gerente de divisão da Robert Half, grandes parágrafos não estimulam a leitura. Ainda mais no caso de um recrutador cansado de examinar tantos currículos. Na hora de detalhar as competências que você teve em cada emprego, substitua os parágrafos por listas de frases ou bullet points. Pode parecer ser só um detalhe, mas esse formato mais “digerível” impedirá que o seu currículo seja descartado simplesmente por parecer cansativo.

 

2. Use fontes discretas e escolha uma formatação acadêmica

Steve Jobs afirmava que design não é a aparência de uma coisa; é como ela funciona. Currículos não são iPhones, mas também seguem à máxima do criador da Apple: seu efeito sobre o leitor depende muito do seu visual. Segundo o recrutador Nogueira, CVs chamativos usam fontes sóbrias e fáceis de ler, como Arial ou Times New Roman. O espaço ideal entre as linhas é de 1,5 e é importante inserir espaços entre os parágrafos para “arejar” a página.

Busca de oportunidades: vagas em todo Brasil

 

3. Diga o máximo possível com poucas palavras

Segundo Larissa Meiglin, psicóloga e supervisora de consultoria ao candidato da Catho, um currículo atraente deve ser claro e conciso.  O texto deve ser o mais sucinto possível, isto é, deve conter uma breve apresentação das informações mais relevantes sobre você. Ser objetivo não significa ser breve ou ambíguo: o ideal é relatar tudo e apenas o que importa, sem sobrar nem faltar nada. Caso você tenha dúvidas nesse aspecto, a plataforma de cursos online – Clube do Trabalhador dispõem de um curso “Como escrever Bem“, que lhe auxiliará na elaboração de um currículo mais atrativo.

 

4. Use palavras-chave que representam sua área

Ao ter um currículo em mãos, o recrutador não irá fazer uma leitura do início ao fim. Sua primeira atitude é visualizar o documento ligeiramente com os olhos, por volta de 10 segundos, em busca de termos básicos que indiquem o perfil profissional em questão. Nas palavras de Nogueira, “é fundamental que o currículo tenha palavras-chave da sua área, como nomes de sistemas, linguagens, projetos e certificados específicos no caso de um profissional de TI, por exemplo”.  Ao identificar essas palavras, o avaliador já terá uma ideia de que tipo de profissional você é e poderá se dispor a uma leitura mais atenta.

 

5. Destaque o mais importante no começo

Outra forma de fornecer uma rápida compreensão do documento é organizar as informações por ordem de relevância, isto é, do mais ao menos pertinente para a vaga em questão. A dica de Luís Fernando Martins, diretor da Hays Response, é usar a primeira página como uma espécie de prévia, na qual deve incluir um “mini currículo” com os dados mais importantes sobre a sua formação, experiências, qualificações e diferenciais. Na segunda página, você pode apresentar essas informações com mais detalhes.

 

6. Fale da sua personalidade

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, é completamente permitido e até recomendável inserir algo sobre as suas atividades extracurriculares no currículo.  Se pratica algum esporte regularmente; se participa de alguma ONG ou projeto social. Segundo Martins, é válido mencionar essas atividades para demonstrar um pouco de quem você é fora do escritório.  Ele explica que hoje as empresas têm valorizado muito o aspecto comportamental do candidato, então um currículo que evidência dados dessa natureza chama bastante atenção. Só evite o autoelogio: falar sobre o seu perfil pessoal é diferente de se descrever como alguém perseverante, dedicado ou criativo, por exemplo.

Relate se você participa de projetos sociais

 

7. Elabore um documento personalizado

A dica definitiva para fazer um currículo atraente é adequá-lo às expectativas e características específicas do potencial empregador. Quanto mais customizado, melhor. Se a empresa busca um profissional com perfil associado à gestão de projetos, por exemplo, coloque em evidência todos os cursos e experiências que você já obteve na área. Se o empregador é uma startup “descolada”, aposte em um layout mais criativo e destaque os seus projetos mais arrojados. “Em vez de mandar um currículo genérico, envie algo que você fez pensando especialmente no estilo e na cultura daquela organização e nas exigências da vaga”, orienta Meiglin. “Só isso já é suficiente para colocar um candidato a anos-luz da concorrência”.

Esperamos que essas dicas tenham contribuído para melhorar o desempenho de seu currículo nos processos seletivos.  Tenha em mente que tudo é questão de colocar em prática para alcançar seus objetivos. Até o próximo post!

Fonte:

O que buscar quando você está buscando

Posted Leave a commentPosted in Carreira, Cursos do Clube, Mercado de Trabalho, Profissão

Quando se está buscando por um novo emprego surge dúvidas de como proceder de forma efetiva para que esta jornada seja o mais breve possível. Você já enviou centenas de currículos e ainda não obteve bons resultados? No desespero, muitas pessoas não se organizam e saem “atirando para todos os lados”, o que não é muito eficaz e pode ser frustrante.

Candidatar-se a inúmeras oportunidades para receber apenas algumas ligações para participar de entrevistas e não obter uma ligação de retorno ou ouvir alguém dizer que não tem nenhuma vaga é realmente frustrante.

Por isso, é importante que, antes de sair em busca de um novo emprego, você se prepare muito bem e, acima de tudo, saiba tirar proveito de qualquer oportunidade de se lançar no mercado de trabalho.

Desse modo, buscar uma oportunidade é uma tarefa que exige foco,  dedicação e estudo. Por isso, no artigo de hoje, vamos falar sobre como buscar emprego de maneira otimizada. Preparamos algumas dicas para você se organizar e conquistar uma vaga! Boa leitura!

 

Estabeleça o seu objetivo

O primeiro passo para aquele que busca um emprego é saber que tipo de vaga, em qual área deseja trabalhar e quais empresas têm os mesmos valores.

Compreendendo seu objetivo profissional, você estará mais alinhado e poderá traçar ações que o ajudem a atingir seu objetivo, como melhorar seu currículo ou fazer um curso online. Determine sua meta e mantenha-se focado!

Mantenha sempre um meta profissional

 

Atualize seu currículo

Depois de definir seus objetivos, reflita sobre sua carreira. Pense nas experiências mais relevantes e aderentes com o seu objetivo e coloque isso em seu currículo. Mantenha-o sempre atualizado e revisado.

É necessário que seu currículo seja capaz de demonstrar à empresa que você é o profissional ideal para suprir a necessidade dela. Então, evidencie seus pontos fortes para que, uma vez que for lido o currículo, o recrutador pense que você é a pessoa que ele estava procurando.

Fique atento a detalhes, como erros de português e formatação — o currículo deve ser elaborado com cuidado e atenção para despertar o interesse dos recrutadores.

 

Busque elaborar um planejamento

Tendo uma meta e um currículo atrativo, planeje em quais meios você vai buscar vagas. Defina uma rotina diária de acompanhamento das oportunidades, trate a busca por trabalho como um projeto e dedique-se a ela.

Na internet, você pode encontrar inúmeras páginas para encontrar oportunidades que podem ajudar você a descobrir vagas de acordo com seu perfil profissional, localização e, inclusive, de acordo com os cargos que gostaria de ocupar. Catho, Infojobs e Sine são algumas das opções.

 

Busque seus contatos

A tão famosa e conhecida frase “quem não é visto não é lembrado” também se aplica à busca por um emprego. Entre em contato com amigos próximos e ex-colegas de trabalho ou de faculdade, relatando o que está procurando e por que está qualificado para uma nova posição.

Caso você esteja em busca do primeiro emprego, converse com ex-professores e colegas. Diga que está procurando uma vaga em determinada área e que, se eles ficarem sabendo de alguma oportunidade, você adoraria ser avisado. A indicação é a forma mais eficiente de arrumar um trabalho.

Converse com amigos e conhecidos sobre sua busca por novas oportunidades

 

Busque ter uma rotina saudável

Realize as buscas diariamente, envie seu currículo para as vagas compatíveis com o seu perfil e aguarde pelas entrevistas. Ter uma rotina bem planejada é a melhor maneira de se manter focado e conquistar um emprego de maneira rápida.

Para ser mais efetivo, reserve um tempo do seu dia para procurar as oportunidades e enviar currículos. Estabeleça períodos para realizar ações que vão ajudá-lo a ser um profissional melhor, como assistir palestras e fazer cursos online que irão agregar valor ao seu currículo.

Não se esqueça de manter as atividades de lazer para não entrar em um círculo vicioso de desânimo e ansiedade. Busque equilibrar todos os aspectos da sua vida, passe um tempo com a família, encontre amigos, e tire um momento para você.

Chegou o momento tão aguardado, você foi chamado para uma entrevista e essa rotina de busca por trabalhos parece estar chegando ao fim. Entretanto, mantenha o foco e prepare-se para essa etapa crucial. Pesquise mais sobre a empresa e vá preparado para a entrevista. Se não der certo uma vez, não desanime e continue na busca.

 

Faça uso das redes sociais

As redes sociais também são muito úteis para encontrar um trabalho.

Todos os dias, milhares de recrutadores recorrem à internet para localizar profissionais e preencher seus cargos em aberto. Por isso, é importante que você crie um perfil nas redes sociais, principalmente no LinkedIn.

O LinkedIn possibilita que você informe ao recrutador, de forma privada, que está disponível e em busca de uma oportunidade. O ideal é criar um resumo profissional atraente, com as recomendações profissionais dos empregos anteriores e informações que despertem o interesse das empresas. Como por exemplo: suas habilidades, seu nível de formação, experiências anteriores e se tem domínio de um segundo idioma.

Use o LinkedIn para procurar emprego

 

Não deixe de estudar

Estar em busca de uma oportunidade não significa que deva deixar de lado sua formação profissional. Muito pelo contrário!

É importante que você aproveite sua disponibilidade de tempo para se qualificar e obter mais conhecimento que agregue valor ao seu currículo e o destaque no mercado de trabalho.

Busque por treinamentos ou cursos (presenciais ou online) para manter seu conhecimento atualizado.

Você também pode se inscrever para eventos que não só possibilitem que você aprenda muito mais, mas também proporcionem a oportunidade de conhecer novas pessoas e fazer networking de qualidade.

Invista na sua qualificação profissional

 

Busque participar de trabalho voluntário

Realizar algum tipo de trabalho voluntário é uma excelente maneira de conhecer novas pessoas, manter-se ativo e encontrar um bom emprego. Se considera que as oportunidades existem, mas é necessário sair e buscá-las.

Se você ainda não obteve êxito na busca por um novo trabalho, anime-se a sair de sua zona de conforto e junte-se a esse tipo de iniciativa!

 

Esteja bem preparado para as entrevistas

Uma entrevista de emprego é sua melhor chance de convencer o empregador que seu perfil é o que ele busca. Por isso é importante que você se prepare muito bem e evite improvisar demais.

Confira algumas dicas que podem ajudar nessa hora:

Vestimenta:
  • Pesquise antecipadamente sobre a cultura da empresa e possíveis restrições de vestimenta. Com essa informação, você saberá o quão formal ou informal você deve ir à reunião.
  • Use roupas com as quais você se sinta confortável e transmita sua personalidade.

 

O que evitar:

Alguns comentários podem levar tudo por água a baixo na entrevista de trabalho. Então, evite-os a qualquer custo.

  • Não faça comentários negativos sobre outras pessoas ou empresas, isto é, não seja desleal e não critique os que já foram seus colegas.
  • Não conte mentiras. Sabemos por meio de pesquisas recentes que a população brasileira é uma das que menos mentem na hora da entrevista com o recrutador. Por mais que deseje impressionar seu entrevistador, não conte mentiras. Seja sincero, nós garantimos que isso será bem apreciado.
  • Evite ser egocêntrico.
  • Dizer que você não tem perguntas mostra desinteresse. Aproveite sua entrevista para tirar todas suas dúvidas.
  • Não pergunte sobre sua remuneração e férias na primeira conversa, isso pode dar a impressão de que você está interessado somente no salário.

 

Como se destacar:
  • Pesquise sobre a empresa antes de ir para sua entrevista.
  • Valorize-se e aprenda a promover-se: destaque seus pontos fortes, conhecimentos, experiências e habilidades.
  • Seja positivo, sorria e mostra entusiasmo em fazer parte da empresa.
  • Cuide de sua linguagem verbal e corporal: evite fazer movimentos bruscos ou nervosos.

 

Se está buscando por qualificação profissional para se destacar no mercado de trabalho e atingir seus objetivos, não deixe de conhecer a plataforma de cursos online Clube do Trabalhador. São conteúdos de excelente qualidade elaborados especificadamente para as demandas do cotidiano de trabalho.

Esperamos que você tenha gostado de nossas dicas sobre como procurar emprego e que encontre a oportunidade que você tanto espera!

Até o próximo post!

Fonte

Cargos na área da tecnologia que vão se destacar em 2019

Posted Leave a commentPosted in Cursos do Clube, Profissão
Estudo demonstra os cargos aos profissionais da área de TI que serão mais requisitados pelas empresas no próximo ano.

Em 2018 o mercado de trabalho esteve ótimo para os profissionais de tecnologia da informação, isto ninguém nega. O setor, antes limitado a serviços específicos, se tornou organizado dentro das organizações, de acordo com especialistas de recrutamento em TI. Para o próximo ano, as contratações devem aumentar, com alguns cargos e profissionais sendo mais requisitados. A empresa Catho, por meio de suas consultoras realizaram um levantamento referente as demandas para 2019.

De acordo com as informações coletadas, a ênfase permanecerá em torno de carreiras especializadas no uso de dados digitais, com foco nos profissionais de alta demanda e ainda insuficientes no mercado, como por exemplo: os cientistas de dados e CDO (Chief Data Officer).

Foi apontado por meio do estudo em questão, que a partir deste ano de 2018, a segurança da informação passou a ser uma preocupação maior dentro das organizações, o que contribuiu para ter um profissional especializado responsável pela temática para assegurar qualquer tipo de vazamento de dados ou uso inadequado deles.

Dito isso, veremos a seguir a relação de profissões que irão se destacar ainda mais em 2019:

Gerente de TI

Este é responsável pelo gerenciamento da área de TI da empresa, onde geralmente é dividida em três setores: sistemas; infraestrutura e segurança.  O perfil deste profissional é possuir habilidade de visão estratégica, boa comunicação e conhecimento em idiomas. A renumeração para este cargo varia entre R$ 14 mil e R$ 25 mil.

A alta demanda para esta função se deve ao fato de que, as empresas buscam profissionais com perfil de liderança, mas que apresentem o conhecimento técnico necessário para atuar mais próximo da operação. Os times têm se tornado muito ágeis, o que exige um líder que trabalhe junto de sua equipe para direcioná-la. Neste novo cenário, os gestores que apenas delegam perdem a vez para aqueles com um perfil mão na massa.

 

Gerente de projetos

Este profissional é quem planeja e controla a execução de projetos em desenvolvimento de software. Seu perfil deve ser generalista e analítico, estando sempre aberto a mudanças e com forte contato com diversas áreas de negócios dentro da empresa. Normalmente apresentam certificações e se especializam em uma metodologia específica de gestão de projetos. Existe a possibilidade de seguir para área de projetos ágeis ou projetos tradicionais (cascata).

A remuneração deste cargo fica em torno de R$ 2,5 mil a R$ 20 mil. A alta procura por este profissional está ligado ao fato da crescente expansão de diversos projetos simultâneos na área de TI, por isso a necessidade de pessoas especializadas em gestão de projetos. Isso é considerado uma grande transformação, pois as empresas terceirizavam essa parte para consultorias, alocando alguns profissionais por um determinado tempo. Portanto agora, vão integrar esse profissional, que precisa entender a cultura e funcionamento da empresa.

O gerente de projetos continuará tendo destaque em 2019.

 

Profissional da área de suporte

Essa pessoa presta suporte/assistência a clientes internos ou externos com objetivo de solucionar problemas técnicos. Para atuar nesta área o profissional deve prever que terá muito contato com clientes internos e externos para atender a chamados e demandas de suporte à tecnologia.

É muito comum que seja exigido fluência em outros idiomas para essa posição. Se você está querendo aprimorar o seu inglês não deixe de conhecer o curso online ‘Inglês para profissionais de TI‘, do Clube do Trabalhador. Este conteúdo foi pensado e elaborado em conjunto por um profissional com ampla experiência no setor de tecnologia e uma professora nativa dos EUA.

O salário para este cargo varia entre R$ 1,5 mil a R$ 5,5 mil. A função destaca-se por haver a necessidade de auxiliar as operações de grandes empresas para suporte a suas tecnologias.

 

Especialista de Business Intelligence (BI)

O especialista de BI organiza a coleta de dados e extrai informações que dão suporte para a gestão de negócios, podendo, inclusive, atuar no monitoramento das informações coletadas. O perfil recomendado para este cargo é ter excelente background profissional no setor de BI, conhecimento em modelagem de dados e foco na interpretação das análises.

A faixa salarial fica em torno de R$ 10 mil e R$ 16,5 mil. O aumento da procura por este profissional é dada em decorrência da  competitividade entre empresas do mesmo segmento. Por isso, o especialista de BI é uma peça essencial no processo de analisar dados que poderão auxiliar em importantes tomadas de decisão.

 

Analista de BI com foco em análise de mercado e ETL

A pessoa encarregada desta tarefa extrai, trata e consolida (ETL, do inglês, Extract, Transform and Load) grande quantidade de dados transformando-os em informações relevantes para a empresa.
Para atuar neste ramo, é necessário ter compreensão do negócio por completo, para gerar insights e senso de priorização.

O salário para este cargo varia de R$ 5 mil e R$ 11,5 mil. Devido a crescente procura por profissionais com elevada capacidade de análise de dados de mercado, para apoiar no desenvolvimento da melhor estratégia de negócio, esta função tem tido uma ascensão na área de TI.

O analista de BI gera insights e senso de priorização dentro da organização.

 

Desenvolvedor Full-Stack

Este profissional desenvolve softwares para gestão e alteração da base de dados, além de softwares para interface com o usuário final. O perfil deve ser de comprometimento com resultados e prazos, além da capacidade de trabalhar em equipe.

A remuneração para este cargo é entre R$ 5 mil e R$ 14 mil. Como resultado, por ter uma visão mais completa do sistema e a flexibilidade de trabalhar com diferentes etapas de desenvolvimento, fazem com que este profissional seja altamente disputado pelas empresas, elevando assim, os salários ofertados.

 

Chief Technology Officer

Este profissional gerencia toda a área de Tecnologia de empresas de grande porte, onde esta é um fator fundamental para a diferenciação mercadológica da empresa frente aos seus concorrentes. Suas características são: visão generalista, com muita capacidade de interação e de influenciar positivamente os resultados da empresa.

A faixa salarial para este cargo vai desde R$ 20 mil podendo chegar a R$ 35 mil. Pelo fato de ser uma posição nova no mercado de trabalho, são poucos profissionais que estão realmente preparados para assumir esta posição. Portanto, a baixa oferta deste perfil tem como consequência o aumento do salário oferecido.

 

Chief Data Officer

O profissional encarregado desta função lidera a transformação digital das empresas. O trabalho do CDO permite que tecnologias (big data, internet das coisas, mobilidade e inteligência artificial), e metodologias e conceitos (design thinking, design sprint, Scrum, DevOps e MVP ), sejam empregados para aprimorar o desempenho e eficiência da companhia, garantindo resultados melhores numa maior velocidade.

Para atuar nesta área precisa ser um profissional híbrido, habituado com as rotinas de tecnologia e com o meio digital. Possuir capacidade de participar de múltiplas tarefas na empresa, como tomadas de decisões por meio de dados, transformação de processos e de conhecimento. Também deve ter habilidade para se relacionar com os responsáveis pelas diversas áreas, como produção, vendas e marketing, além de tecnologia da informação.

Se faz necessário conseguir lidar com a cultura organizacional da empresa, principalmente com a evolução de pessoas e não só da TI, dentro do contexto de transformação digital. Para tantas tarefas o salário varia entre R$ 30 mil a R$ 45 mil.

Pela razão de as organizações estarem buscando lideranças de confiança para sua transformação digital, e dando mais atenção para a proteção de dados com a nova regulamentação no país, este cargo deve destacar-se ainda mais no próximo ano.

Este profissional é responsável pela transformação digital das empresas.

 

Gerente de Segurança da Informação

A pessoa encarregada desta atividade prioriza a segurança dos dados da empresa. Evitando que informações vazem ou que usuários indesejados entrem no sistema da empresa. Para atuar neste cargo o profissional deve estar extremamente atualizado sobre todas as alterações tecnológicas acessíveis no mercado.

A remuneração varia entre R$ 17 mil e R$ 25 mil. Devido aos recorrentes problemas de invasão de sistemas enfrentados por grandes empresas, a demanda por especialistas nesta área tem aumentado.

 

Engenheiro de Inteligência Artificial

Este especialista ensina computadores a “pensar” como humanos. É o nicho de trabalho do engenheiro de Inteligência Artificial (IA), área também conhecida como machine learning, ou em tradução literal, aprendizado de máquina. Em grandes empresas, prepara listas de sugestões para usuários, cruza dados e informações. Com base em cálculos que recriam a decisão do cérebro, coleta dados, identifica padrões e insere as informações no sistema, dando vida a uma ferramenta que “entende” tudo sobre o seu usuário.

Entretanto, ainda não há graduação específica para a área, mas cursos como Tecnologia da Informação (TI), matemática, engenharia da computação são os mais comuns entre profissionais desse mercado, além de excepcional habilidade de codificação.

Devido a complexidade das atividades o salário varia entre R$ 6 mil e R$ 10 mil. Com a expansão da aplicabilidade de IA em diversificados nichos de mercado, as empresas estão buscando operar em diferentes segmentos e aderindo ao conceito de personalização.  Como resultado, a demanda por esse tipo de profissional está crescendo.

 

Cientista de Dados

Este especialista pode oferecer insights decisivos para a empresa, tornando-a mais inteligente, fazendo o tratamento do dados de seus clientes, que poderão ser decisivos em tomadas de decisões futuras da empresa. São informações valiosas, que podem elevar a performance da empresa, pois dão o direcionamento correto para onde a estratégia da organização deve dirigir-se.

As características evidenciadas para este cargo são: capacidade analítica, pensamento lógico, habilidade com números, conhecimento em programação, com formação em Computação, Estatística, Matemática, e similares.

O rendimento para função em média é de R$ 10 mil e R$ 20 mil. Pessoas com esse tipo de conhecimento são difíceis de encontrar, por isso valorização da área deve crescer em empresas de diversos setores.

Este especialista pode oferecer insights decisivos para a empresa, tornando-a mais inteligente.

 

Desenvolvedor de projetos de ERP

Este profissional desenvolve projetos de sistemas ERP (Enterprise Resource Planning). Atua no levantamento de requisitos, mapeamento de processos e modelagem de dados, estuda e implementa sistemas de acordo com as regras de negócio acordado. Soluciona bugs técnicos, indica o caminho a seguir, mostrando possíveis soluções. Trabalha também no treinamento de usuários e criação de documentação.

Para realizar essas tarefas é necessário ter um perfil “híbrido”, pois interage constantemente com usuários e levantamento dos requisitos e também programa o sistema em si.

O salário para este cargo varia entre R$ 2 mil a R$ 9 mil.  Sendo que, a utilidade de sistemas de gerenciamento interno das empresas acaba gerando uma maior demanda por esse tipo de especialista.

 

Gerente da Informação/Banco de dados

O gerente da informação administra, instala, configura, atualiza e monitora um banco de dados ou sistemas de bancos de dados de uma ou mais empresas. Seu perfil deve ser focado em um banco de dados específico ex: Oracle, SQL, etc. Possuir conhecimentos em linguagens específicas e estruturas de banco de dados.

O rendimento para quem deseja trabalhar na área é em torno de R$ 3 mil a R$ 9 mil.  A procura por este tipo de profissional tem intensificado por que eles são capazes de gerenciar e lidar com um constante crescimento no volume de dados armazenado e integrado nas empresas.

Com esta relação de cargos em acensão para 2019 esperamos ter colaborado na sua escolha de área de atuação no mercado de trabalho. Se você já trabalha neste setor e precisa melhorar sua habilidade de falar o segundo idioma, não deixe de conhecer o curso online ‘Inglês para profissionais de TI‘ do Clube do trabalhador.

Até o próximo post!

Fonte

Melhore sua performance em vendas

Posted Leave a commentPosted in Cursos do Clube, Empreendedorismo, Produtividade, Profissão
Quer melhorar sua performance nas vendas? Apresentaremos neste post dicas sensacionais — e muito simples — de como ser um bom vendedor e alcançar a meta.

Existe uma variedade de aspectos e domínio de algumas técnicas para aqueles que desejam se tornar um ótimo vendedor. Além disso, as virtudes deste profissional são muitas, que iremos apresentar em seguida, juntamente com um roteiro de técnicas de venda que podem fazer de você um vendedor ainda melhor.

Hoje, os vendedores se tornaram um verdadeiro diferencial competitivo de enorme relevância para as empresas. Não é à toa que alguns são disputados no mercado. Quando bem preparados e qualificados, efetivamente podem fazer a diferença na hora de fechar uma venda. Quer saber como ser um bom vendedor e bater a meta todo mês? Então veja algumas dicas práticas de como chegar lá!

 

Tenha informações a respeito de seu possível lead

No caso de vendas B2C, busque o máximo de informações possíveis sobre a empresa e o comprador. Sobre a empresa, normalmente é mais fácil de obter. Pesquise no site, por exemplo. É muito importante estar ciente da situação da empresa no mercado e seu poder de barganha.

Além disso, antecipe-se à reunião e já descubra as possíveis soluções que sua empresa pode ofertar a outra, apresentando alternativas, preços, condições de financiamento e o máximo de dados que puder levar para evitar ter que consultar alguém e ter que remarcar a reunião por não estar preparado.

Conheça e entenda também a pessoa com quem vai conversar. Seu estilo de negociação, seu jeito de ser, suas preferências pessoais, posição na empresa, relações familiares, nível econômico entre outros.

Tais dados podem auxiliar não só a ordenar seu discurso e argumentos de venda, como também gerar ganchos para uma boa conversa, construindo compreensão e promovendo o rapport. Se não conhecer o comprador pessoalmente de outras ocasiões, procure em mídias sociais ou tente achar informações com colegas de trabalho.

 

Se inspire nas experiências de outros vendedores

Não se intimide para pedir ajuda e aproveitar as oportunidades que você tiver de ter o seu trabalho facilitado. Por isso, use toda a ajuda disponível.

Por exemplo, escolha boas técnicas de vendas que o tornem mais produtivo e ajudem a aumentar a eficiência do seu processo.

Além disso, observe vendedores mais experientes e peça conselhos quando for apropriado. Mesmo ações que parecem pequenas certamente vão fazer a diferença e irão lhe dar subsídios para se tornar um profissional mais completo e confiante.

 

Compreenda seu produto em todos os aspectos

Nenhum cliente confia em um vendedor que não tem segurança no produto que está ofertando e pior ainda é o caso de quem ao menos sabe do que está falando.

Por isso, faça questão de conhecer cada detalhe do produto ou serviço que vende, pois isso é essencial para passar confiança aos clientes.

Aprender sobre todos os aspectos, funcionalidades e características do produto ou serviço é fundamental tanto para responder a dúvidas que a pessoa possa apresentar quanto para oferecer dicas valiosas de como ela pode solucionar uma dor ou o valor agregado que pode proporcionar ao lead.

 

Aprenda técnicas para identificar cada tipo de cliente

Se conhecer o produto é importante, entender como o cliente age e pensa não fica atrás, pois isso lhe proporciona uma situação favorável, com algumas vantagens.

Uma delas é a oportunidade de personalizar melhor a sua abordagem e focar nos pontos de maior interesse para a pessoa, fazendo com que ela se sinta mais confortável para prosseguir com a negociação.

Conhecer o consumidor envolve responder algumas perguntas: quais são os motivos que o levariam a comprar de você? Quais seriam alguns obstáculos que poderiam dificultar o acordo?

O bom vendedor é capaz de identificar o tipo de cliente e suas características.

 

Seja empático

Empatia é a habilidade de se colocar no lugar de outros, e é crucial que você saiba como fazer isso para aprender como ser um bom vendedor.

Ninguém gosta de lidar com uma pessoa que só pensa em vender, vender e vender e não identifica as necessidades do cliente. Um bom profissional é capaz de levar em consideração do consumidor na hora de ofertar seu produto. É por isso que o Clube do Trabalhador preparou um curso online voltado para você que já trabalha com vendas ou que está iniciando neste ramo, para que assim, possa vender valor e persuadir (no bom sentido) o consumidor que seu produto ou serviço é o melhor para atender aos anseios dele.

Por outro lado, por se esforçar em entender os motivos que levam o cliente a não fechar negócio, você conseguirá encontrar soluções e respostas melhores, e oferecer acordos que sejam bons para ambas as partes.

 

Seja mais persuasivo

Como já mencionado no item acima, a persuasão, ou seja, o poder de convencer as pessoas, é uma arte que vai transformar da água para o vinho o seu potencial de vendas.

Pensando bem, podemos dizer que na maioria das vezes o cliente deseja ser convencido. Isso significa que ela encontrou a oferta ideal, que se encaixa nas suas necessidades.

A boa notícia é que a persuasão pode ser aprendida. Então, se concentre a cada dia em técnicas que o ajudem a ser mais persuasivo, o que vai te levar a conseguir acordos mais vantajosos. As referidas técnicas você pode conhecer, aprender e colocar em prática fazendo o curso online ‘Persuasão em Vendas’.

 

Honestidade vale ouro …. Pratique

Você pode tentar convencer seu cliente a adquirir seu produto ou serviço, mas precisa ser muito honesto com as pessoas em relação a todos os aspectos que permeiam o ato da venda. É fato que a profissão de vendedor ainda possui um resquício desagradável por conta das más práticas que muitos insistem em seguir.

Uma delas envolve a ideia de que para vender bastante é preciso enganar os clientes e fazê-los comprar mais do que realmente precisam, ou em alguns casos até adquirir um produto que não será de ajuda alguma.

Não tenha esse comportamento: seja honesto com todos os clientes, mesmo que isso lhe custe algumas vendas.

O resultado será que os clientes que realmente atrair serão mais leais e acabarão até atuando como promotores do seu trabalho.

Seja sempre honesto com seu cliente.

 

Pratique a escuta ativa

Não seja aquele vendedor que fala sem parar, que parece um trem desgovernado e sem freio, na ilusória tentativa de impressionar o cliente ou vencê-lo pelo cansaço. Essa tática até pode funcionar com algumas pessoas, mas não é um bom modelo a seguir.

Mais importante é aprender a ouvir o que os clientes têm a dizer. Ouça atentamente suas dúvidas, problemas, objetivos e então responda com algo relevante, enaltecendo que seu produto poderá auxiliar na solução de problemas e também trará vantagens ao consumidor.

Esse tipo de gesto cria uma identificação profunda com o cliente, que surtirá efeito quando chegar a hora dele decidir.

É preciso saber ouvir o que o cliente deseja.

 

Busque o sucesso dos seus clientes

Um vendedor comum trabalha pela venda, mas um profissional diferenciado vai além disso, e visa o sucesso dos clientes. Por quê?

O raciocínio é bem simples: o sucesso do seu cliente é também o seu sucesso, então à medida que ele conquistar bons resultados com o produto que você vendeu, a tendência é que continue comprando. Qual melhor propaganda do que um cliente fiel e satisfeito com seu trabalho e produto? Até o presente momento desconheço algo que tenha mais efeito positivo do que consumidor feliz.

Mais ainda, é possível criar casos de sucesso ou pedir depoimentos que serão muito úteis como provas sociais em seu site ou em negociações futuras.

 

Tenha foco também no pós-venda

Talvez você imagina que o pós-venda não se enquadra tão bem no papel do vendedor, já que deve ser realizado por outro profissional.

Entretanto, não é bem dessa forma. Inclusive, pensando de forma prática, um pós-venda bem feito pode resultar em vendas futuras, então está diretamente ligado à fidelização.

Sendo assim, todo vendedor que se preze deve procurar sempre fidelizar seus clientes, já que isso facilita o seu trabalho no futuro e aumenta suas chances de bater (ou ultrapassar) as metas. Tudo isso adotando ações simples, como: ligação ou e-mail para o cliente perguntando se o produto está atendendo as necessidades, se está cumprindo o que foi proposto e etc.

 

Dica bônus – Esteja sempre bem capacitado

Algo fundamental a destacar é que mesmo depois de se tornar um bom vendedor não há espaço para acomodação. Não existe técnica infalível ou método que funcione para sempre.

Com isso em mente, continue atento ao que acontece no mercado e busque formas de continuar relevante com o passar do tempo. Como fazer isso?

Acompanhe blogs de vendas, baixe materiais que enriqueçam o seu conhecimento no assunto, aprenda com erros passados e com o que outros estão fazendo de novo, busque por qualificação profissional de qualidade.

Agora você já sabe como ser um bom vendedor, basta colocar em prática essas sugestões, conhecer o curso online ‘Persuasão em Vendas’ do Clube do Trabalhador e continuar atento a tudo que puder melhorar com o objetivo de fechar mais vendas. Lembre-se de que leva tempo até desenvolver bem todas essas habilidades, mas a prática leva a excelência!

Até o próximo post!

 

Fonte

Os benefícios de usar o Adobe Illustrator

Posted Leave a commentPosted in Audiovisual, Cursos do Clube, Profissão

O Adobe Illustrator (AI) é um recurso de edição de gráficos vetoriais na forma de uma oficina de arte que trabalha em uma prancheta, conhecida como “mesa de trabalho” e destina-se à criação artística de desenho e pintura para ilustração.

A ferramenta Adobe Illustrator é destinada a profissionais da área de Web Designer e afins, que por sua vez, está cada vez mais concorrido. Para iniciar seu caminho como designer, um dos programas que você deve conhecer e saber como lidar é o Illustrator, já que é a ferramenta mais útil para fazer seus projetos.

A função mais conhecida do Illustrator é o design de imagens vetoriais, isto é, de imagens cujo tamanho pode ser ampliado ou reduzido sem interferir na qualidade. Atualmente, ele faz parte da família Adobe Creative Cloud e sua principal e único papel é a criação de material gráfico altamente ilustrativo profissional baseado na produção de objetos matemáticos chamados vetores. Assim, você conhece todos os benefícios deste programa bem conhecido?

Vejamos a seguir alguns deles:

Compatibilidade

O Illustrator pode ser ajustado com os sistemas operacionais WINDOWS e MAC, possibilitando maior aplicabilidade, para que você possa usá-lo em qualquer máquina. Há o aplicativo Android “Adobe Illustrator Draw”, onde pode fazer desenhos vetoriais em qualquer Smartphone Android e depois transferi-los para o PC.

Permite importar formatos como SWF, JPEG, PSD, PNG e TIIF, entre outros.

 

Praticidade

O Illustrator tem um painel muito bem organizado. Disponibiliza recursos para criar polígonos e formulários livres; seleção para manipular objetos na mesa de trabalho; ferramenta manual que permite mover-se livremente pela mesa de trabalho sem usar a rolagem.

E destaca-se a usabilidade da ferramenta caneta, onde pode-se projetar qualquer figura.

 

Ilustrações, Gráficos e Logos

Pelo fato de ser um software que trabalha com imagens vetoriais (imagens formadas por cálculos matemáticos em vez de pixels), o Illustrator é hoje o programa padrão para esse tipo de trabalho.

Ele permite criar ilustrações, gráficos, logos e muito mais para ser utilizado em qualquer tamanho e mídia.

Design para Web e Mobile

Web design responsivo – Com o Illustrator CC, você não está limitado a uma resolução específica. Você pode criar várias pranchetas (uma por página) em um único arquivo do Illustrator para ilustrar como a página da Web deve responder a diferentes resoluções de tela. Combinado com o Edge Reflow CC, o Illustrator permite um poderoso fluxo de trabalho para web designers responsivos.

Prototipagem – Devido à sua abordagem modular de trabalhar com texto e símbolos, o Illustrator CC pode ajudar a aumentar sua produtividade como web designer. O modo de dimensionamento de 9 partes é um recurso importante para prototipagem de componentes de interface do usuário e layouts de aplicativos.

Design plano – A tendência atual no design da web é limpa e minimalista, e o Illustrator fornece um ambiente ideal para desenhar formas e experimentar cores e fontes da web.

Desenvolvendo layouts com adobe illustrator

Interatividade

Falando sobre a parte de layouts, toda interface é feita para interação com o usuário. Esse contato pode ser feito também no Illustrator através da linguagem JavaScript, ativadas no painel Interatividade SVG.

SVG é o formato de vetor para web, admitindo que os usuários tenham sempre ilustrações vetoriais na qualidade original, não implicando no tamanho da tela e nem deixando o arquivo mais carregado por isso (pelo contrário, são bem leves).

 

Animações

No Illustrator também podemos criar animações em nossos documentos. Uma das maneiras de executar essa animação é criando camadas separadas para cada “frame” da animação.

Ou seja, todos os quadros, em camadas separadas, quando forem salvos em um SWF (formato de exportação do Flash), irão executar o movimento.

Crie gifs com o Adobe Illustrator

 

Unir ilustrações para combinar caminhos

Você pode mesclar objetos para criar e distribuir formas uniformemente entre dois objetos. Você também pode unir dois caminhos abertos para criar uma transição suave entre objetos ou mesclar composições de cores e objetos para criar transições de cores na forma de um determinado objeto.

 

Entendendo o Adobe Illustrator

Perante as informações colocadas até aqui e todas as demais que estão disponíveis na internet, há pessoas que ainda tem dificuldades de efetivamente aprender a usar o software.

Isso se deve ao fato de que, mesmo com uma ampla quantidade de vídeo aulas, artigos e tutoriais disponíveis, dificilmente você encontrará um conteúdo completo, desde a introdução ao programa até técnicas mais complexas.

Por isso, muitos que desejam aprender a utilizar o Illustrator precisam “garimpar” conteúdos de qualidade e juntá-los como se fossem peças de um quebra-cabeças.

Frente a esse dilema, a plataforma Clube do Trabalhador possui o curso Illustrator CC, um curso completo 100% online, com 60 aulas e material complementar que estarão disponíveis para você por um ano. O curso conta também com exercícios práticos, onde demonstrações de como executar cada ação.

Conheça mais sobre o Illustrator CC clicando aqui, onde você poderá assistir a uma aula do curso e conferir todo o conteúdo dos módulos.

 

Até o próximo post!

Fonte

A importância do segundo idioma para o mercado de trabalho

Posted Leave a commentPosted in Cursos do Clube, Idiomas, Profissão

Todos sabem da importância de se ter domínio em um segundo idioma, sendo que já deixou de ser um diferencial para se tornar um pré-requisito. Isso quer dizer que, em tese, já se espera que o profissional tenha uma segunda língua fluente. Nessa linha de pensamento, o que o colocaria na frente na corrida por uma boa posição no mercado seria o domínio de outros idiomas além do Inglês, que – por suas aplicações universais – já se tornou uma necessidade de base.

Por quantas vezes você já escutou alguém dizer que perdeu uma excelente oportunidade por não saber falar inglês? Pesquisas salariais mostram que o salário de uma pessoa que tem um segundo idioma é de 35% a 60% a mais em relação ao salário de outra que seja monolíngue.

Entretanto, a maior parte dos profissionais que dizem ter conhecimento nessa língua se enquadra no nível básico para o intermediário. Portanto, ter fluência ainda é um diferencial bastante competitivo para conseguir postos mais altos.  Essa necessidade se enquadra em diversas demandas do mercado de trabalho que vão desde empresas multinacionais à viagens de estudo e trabalho, bem como elevar o nível de conhecimento. Veremos neste artigo razões para motivar você a aprender ou aprimorar a habilidade de falar outra língua. Confira:

 

Possibilidade de trabalhar em grandes empresas

Em algumas regiões do Brasil estão instaladas grandes empresas, especialmente as multinacionais. Para ingressar nessas empresas, principalmente em cargos de liderança nos quais os salários e as chances de ter uma carreira promissora são mais altas, o inglês é obrigatório e pode fazer toda a diferença no seu crescimento. Um exemplo disso são as empresas na área de tecnologia, que por sua vez exigem fluência em inglês. Para conseguir uma vaga nessas empresas é necessário ter domínio de termos específicos do setor como: saber falar em reuniões sobre projetos que estão sendo desenvolvidos pela equipe, dar e receber feedbacks, descrever defeitos, elaborar especificações de requisitos e relatórios, discutir sobre API,  GUIs e banco de dados,  redigir emails e dentre outras. Todos esses requisitos de conhecimento nesta área são abordados no curso de ‘Inglês para Profissionais de TI’, do Clube do Trabalhador. Acesse o site e conheça o conteúdo que vai dar um up grade no seu currículo, carreira e fluência no idioma.

Salários bem mais atrativos

A revista Business Week divulgou que o salário de uma pessoa que sabe falar inglês aumenta 35% em relação ao salário de quem não tem o domínio da língua. Outras publicações internacionais ressaltam a relevância do idioma. Segundo o The Economist, o inglês é utilizado atualmente, como nenhum outro idioma foi usado antes. Mais ainda, o The Wall Street Journal destaca que o número de pessoas falando o mesmo idioma está aumentando e as pessoas mais jovens buscam uma língua padrão, pois ela é útil no mundo da informação e na sociedade global.

 

Trabalhar e estudar em outros países

Aprender um segundo idioma permite ao profissional criar novas oportunidades e grandes experiências, agregando valor não somente ao seu currículo, mas à sua vida no geral. Entre estas experiências, pode-se citar a realização de um intercâmbio ou de uma formação profissional no exterior, bem como viagens de negócios.

Grandes corporações preocupadas com inovação procuram justamente essas pessoas que se aventuraram, conheceram novas culturas e métodos mundo afora, aplicando-os no Brasil. Estas são excelentes formas de ampliar sua rede de contatos profissionais e obter outras oportunidades de carreira através destes.

Maior grau de instrução

Ainda que informalmente, o domínio do inglês exprime um nível de instrução a mais ao profissional. É isso que o mercado procura: pessoas instruídas e qualificadas, a desenvolver o melhor trabalho para os negócios. Sabendo inglês, seu conhecimento é demonstrado e atrai os recrutadores.

A quantidade de materiais mais atuais sobre TI e demais áreas de conhecimentos (livros, artigos, vídeos etc.) disponíveis em inglês é bem maior que em português — por sua vez, tendo a maioria dos materiais traduzidos ou baseados nos conteúdos em inglês. Portanto, a fluência no idioma é um requisito fundamental para que profissionais se mantenham atualizados e adquiram níveis mais altos de conhecimento, afinal as maiores autoridades em tecnologia no mundo distribuem suas obras em inglês. Assim, se você ainda não domina o idioma, invista em aulas de inglês online.

 

Mas como gerenciar o tempo de estudo do idioma e o trabalho?

Em tempos em que o colaborador é cada vez mais exigido, com jornadas que variam de oito a dez horas de trabalho diárias, não é fácil inserir uma segunda atividade no dia. Ao menos não uma atividade que exija deslocamento ou horas inflexíveis do dia.

Portanto, o ideal é que você escolha por cursos on-line, porque além de serem bastante atualizados, são acessíveis para serem feitos a qualquer hora e em qualquer lugar que você estiver, o que dispensa de estar dentro de uma sala de aula em horários estabelecidos do seu dia.

Como vimos, saber inglês no mercado de trabalho é critério básico para quem vai concorrer a uma vaga, mas também é essencial para quem já está trabalhando e quer se tornar mais competitivo para novas oportunidades. Para se fazer cada vez mais qualificado e destacado no mercado, acesse o site Clube do Trabalhador e conheça o curso online “Inglês para Profissionais de TI”,  e obtenha um diferencial para sua carreira!

Até o próximo post!

Marketing Digital – qual curso devo fazer?

Posted Leave a commentPosted in Cursos do Clube, Marketing Digital

Realizar cursos de marketing digital é algo que deve estar sempre nos planos dos profissionais da área. Pois, as tecnologias e ferramentas que dão suporte para as atividades de publicidade, relações públicas e outras vertentes do marketing na internet se reinventam quase que diariamente e é necessário acompanhar essa evolução.

Mas, devido as inúmeras ofertas existentes no mercado, é comum ter uma certa indecisão na hora de optar por um curso. Nesse caso, deve ser levado em consideração quais são seus objetivos e necessidades mais urgentes para se capacitar como profissional e agregar valor ainda mais em sua carreira. Para ajudá-lo a escolher um curso de marketing digital, listamos alguns dos mais buscados no momento. Confira nos tópicos a seguir.

Inbound marketing

O Inbound Marketing, que traduzido para o português seria Marketing de Atração, se resume numa nova abordagem de marketing que tem proporcionado grandes resultados. A estratégia é composta por quatro etapas principais: Atração, Conversão, Fechamento e Encantamento (fidelização).

O Indound começa com o objetivo de atrair visitantes para site/blog e termina com um cliente plenamente satisfeito que tende a promover sua marca de forma extremante positiva, gerando novos clientes para o negócio.

Para pôr uma campanha de Inbound em prática, os responsáveis precisam se dedicar bastante, monitorando os processos com exímio profissionalismo, principalmente porque há muitas ações a serem executadas. Criação de personas (simulação de potencial cliente), análises detalhadas, gerenciamento rigoroso nas de redes sociais, mensuração das métricas, entre diversas outras ações fazem parte da estratégia.

Desse modo, com base em um esquema chamado de funil de vendas, o profissional de marketing precisa se especializar nesse processo sistêmico de captação de leads, por meio da produção de conteúdo para os diversos canais da empresa.

Fazer um curso de inbound marketing é ideal para os profissionais que precisam renovar seus conhecimentos e entender como a internet pode ser um excelente meio para prospectar novos clientes para as empresas.

 

E-mail marketing de alto desempenho

Engana-se aquele que pensa que o e-mail não funciona mais e que não é mais um canal importante para uma estratégia de marketing. Apesar de outras mídias ocuparem a preferência de algumas pessoas, praticamente todo mundo ainda utiliza o e-mail, principalmente no meio empresarial.

Desse modo, os profissionais de marketing, de vendas, de TI e BI, e estudantes e empresários precisam saber extrair todo potencial da mídia e-mail marketing, a fim de melhorar a performance em todos os pontos de contato, como peças, bases, ferramentas e entregabilidade.

Tudo isso pode ser conquistado se você fizer um curso totalmente focado no desenvolvimento de estratégias de e-mail marketing de alta performance.

E-mail marketing ainda vive sabendo usá-lo.

Gerenciamento de mídias sociais

Estar presente nas redes sociais já não é mais um diferencial para nenhuma empresa. Atualmente, quem se destaca nas mídias sociais são empresas que enxergam o valor dessa ferramenta e a utilizam como canal de comunicação com os seus clientes e como canal de promoção, tanto da marca como dos produtos/serviços e conteúdos. Por consequência, cada vez mais as organizações estão criando seus perfis nas redes sociais para se aproximar do seu cliente e não perder para a concorrência.

Para aprender a gerenciar essas redes com eficiência e garantir uma boa comunicação com os clientes, é muito importante ter alguns conhecimentos básicos, que vão desde noções de relações públicas até o desenvolvimento de artes e peças gráficas para esses canais.

As mídias digitais podem  auxiliar as empresas nos mais variados segmentos, tudo dependerá da estratégia utilizada. Por exemplo:

  • divulgação da marca;
  • ser um canal de comunicação com os clientes;
  • criar uma comunidade fã da sua empresa;
  • educação através da divulgação de conteúdo;
  • vendas.

Todos essas informações e o desenvolvimento de habilidades podem ser obtidos quando o profissional de marketing se matricula em um curso de gestão de mídias sociais.

Uma imagem vale mais do que mil palavras

Se você almeja que sua marca seja reconhecida nas redes sociais é imprescindível saber divulgar os seus produtos. Fazer fotografias bem enquadradas e com a iluminação adequada podem fazer toda a diferença na hora do cliente efetuar a compra, tanto pela facilidade em avaliar o produto, quanto pela atratividade de conhecer mais.

Imagine quantos internautas é possível atingir com apenas uma foto?

Por isso, é importante aprender técnicas de saturação e linhas de força, saber escolher os lugares ideais com os equipamentos certos. Cative o seu público com um planejamento visual bem feito, afinal de contas a fotografia é o primeiro elemento que desperta atenção em uma postagem em mídias sociais. Plataformas como o Instagram e Pinterest, por exemplo, foram desenvolvidas justamente, para atender os olhos, a estética e a angulação que podem ser decisivas para medir a qualidade da sua foto e transmitir confiança na compra.

Essas boas práticas podem ser aprendidas no curso fotografia para e-commerce, que ensina os alunos a fotografar produtos variados, valorizando as principais características de cada um deles.

É importante usar imagens de boa qualidade e adequadas para cada tipo de postagem.

Planejamento e estratégia de SEO

Normalmente, quando se pensa em montar uma estratégia de SEO, as perguntas que se pensam são simples e diretas. Quais são as palavras chave que você quer ranquear? Como você irá gerar link building para o SEO? Qual velocidade do seu site, performance e mobile? Quando eu vou ter retorno?

As técnicas de SEO vão desde a criação de textos com palavras-chave, até boas práticas na programação e design dos sites, sendo necessário uma série de conhecimentos para colocar tudo isso em prática. Portanto, para quem deseja aprender sobre essa ferramenta, se faz necessário um forte comprometimento com o estudo aprofundado e com a pesquisa na área de Search Marketing com foco em resultados orgânicos.

Cursos voltados para esta temática de SEO lhe dará subsídios para desenvolver projetos bem como determinar seus pontos chaves para implementação e monitoramento do processo.

 

Facebook ads

Facebook ads são os famosos anúncios que vemos na plataforma. É a possibilidade de impulsionar posts, mediante pagamento, para que o conteúdo atinja mais pessoas, ultrapassando o alcance que o Facebook oferece organicamente, ou seja, de forma gratuita.

Trata-se de ferramenta fundamental para quem quer atingir novos públicos, tornar sua marca conhecida e obter mais interações e conversões. No curso sobre Facebook ads você aprenderá a criar anúncios, definição do público-alvo,  gerenciar os anúncios criados, criar as tão almejadas conversões bem como avaliar se os objetivos estão sendo alcançados.

Como funciona o facebook ads

Google Analytics 

O Google Analytics é um sistema gratuito de monitoramento de tráfego que pode ser instalado em qualquer site, loja virtual ou blog.  O objetivo principal do Google Analytics não é apenas saber quantos usuários acessam o seu site e sim, de que forma esses usuários se comportam ao navegar pelas diversas páginas e seções deste site.

Esse ferramenta também auxilia no monitoramento de campanhas de marketing digital, analisar o desempenho de vendas de cada produto em uma loja virtual.

Por meio de cursos online a respeito deste recurso, é possível conhecer e aplicar os principais conceitos de web analytics e  as diversas ferramentas do Google Analytics.

Se você ficou interessado, acesse nosso site CLUBE DO TRABALHADOR e conheça os cursos que oferecemos. Lá você encontrará informações mais detalhadas sobre os métodos de ensino, as vantagens, os conteúdos que atendem plenamente as demandas do mercado no marketing digital.

Até o próximo post!

Fonte

 

Como evitar conflitos com seus colegas de trabalho

Posted Leave a commentPosted in Produtividade, Profissão

Como evitar conflitos com seus colegas? – esta é uma indagação que muitos profissionais se fazem. Pois, por mais séria e comedida que seja a conduta que mantêm, muitos acabam lidando com desentendimentos e problemas que evoluem para desafetos e, até mesmo, grandes rivalidades que prejudicam a carreira que almejam dentro da organização.

É fato que as pessoas não pensam igualmente, visto que cada uma tem suas crenças, habilidades diferentes, vivências, interesses e valores. Por mais que no ambiente de trabalho encontremos pessoas maravilhosas, sempre há algumas que são mais “tóxicas” que as demais.

Pensando nessa questão, reunimos algumas dicas que vão ajudá-lo a manter uma relação sadia com seus colegas e construir um clima corporativo bom para o trabalho de todos (e, consecutivamente, favorável para o crescimento da empresa). Confira!

 

Procure não falar somente de trabalho

Você não imagina o quanto seus colegas de trabalho podem te surpreender positivamente. Apesar de estar no ambiente de trabalho, durante as pausas para café e almoço, evite falar apenas sobre a rotina de vocês no escritório. Fale de outros assuntos mais agradáveis na conversa e descubra gostos em comum. Quando se discute muito sobre a rotina de trabalho dá margens a interpretações equivocadas e fofocas.

 

Tente ser amigável

Esta sugestão pode soar muito óbvia, porém, sem perceber, às vezes, podemos esquecer de sorrir durante o dia, dizer ‘bom dia’, ‘tudo bem? ‘Muito obrigado’. Por mais que tenhamos problemas pessoais que possam nos tornar “antissociais”, não devemos deixar de lado a boa educação e cordialidade que fazem uma grande diferença.

 

Pratique a escuta ativa

Esse é o princípio de toda boa relação. É muito cansativo tentar dialogar com alguém que fala apenas de si, ou que interrompe o que os demais estão falando. Quando seus colegas de trabalho falarem com você, independentemente do assunto, ouça com atenção.

A pressa em responder ou dizer o que pensa pode ser entendida como falta de interesse no que está sendo dito. Manifeste respeito e ouça as sugestões e ideias dos seus colegas atentamente.

Demonstre gratidão

Aprender a demonstrar gratidão — uma ação que está bastante ligada com ajudar e ser ajudado.

Portanto, quando alguém lhe estender a mão e ajudá-lo em relação a uma dificuldade que você está enfrentando, um erro que cometeu ou um problema que surgiu de última hora no emprego, por exemplo, saiba reconhecer a importância desse gesto e, principalmente, agradecê-lo.

Isso é importante para que a pessoa confirme a sua educação, sinta-se à vontade para auxiliá-lo novamente e, acima de tudo, para que você demonstre que valoriza o que ela faz e, consequentemente, haja uma conexão entre ambos.

 

Seja proativo e ofereça ajuda

Percebeu que um colega de trabalho está tendo mais dificuldade para finalizar uma tarefa, e você pode ajudá-lo? Seja proativa e ofereça auxílio. Em muitos casos, esse profissional sofre com a timidez e por conta disso, encontre dificuldades em pedir ajuda.

Quando for colaborar nesses casos, seja receptivo e não trate a situação como se estivesse fazendo o maior favor do mundo. Lembre-se de que, no dia seguinte, quem pode precisar de ajuda é você.

 

Não evite os problemas

Caso você esteja enfrentando dificuldades no convívio com alguém, aprenda a resolvê-los e a não dar continuidade — visto que isso pode funcionar como uma bomba-relógio e atingir outras pessoas, envolvendo-as em um círculo vicioso de desafetos.

Como realizar isso? Sentando e conversando com a pessoa em questão. É importante que ambos queiram criar esse canal de comunicação para, juntos, procurarem um caminho no qual — mesmo que não tenha uma amizade — haja uma convivência pacífica. Dessa maneira, nenhum afeta o desempenho e nem a produtividade do outro.

 

Cultive a cultura do diálogo

Você conversa com os seus filhos ou com os demais familiares da mesma maneira que se comunica com os seus gestores? Provavelmente não, pois cada pessoa tem uma maneira de compreender o que está sendo dito e precisa receber um comunicado de uma forma especial.

Compreenda que os seus colegas de trabalho são diferentes e cada um precisa de um estilo de diálogo diferente para que a comunicação seja, de fato, efetiva. Tenha uma maneira de conversar com cada colega, sem perder a sua essência e opiniões.

Evite participar de comentários maldosos

Outra dica importante para diminuir conflitos e competição no trabalho é não fazer comentários maldosos sobre seus colegas ou participar de insinuações e fofocas a respeito da vida pessoal deles — independentemente de você discordar ou não das opiniões e comportamentos políticos, religiosos, afetivos e culturais dos demais.

Por mais evidente que isso pareça, muita gente não coloca essa sugestão em prática e acaba criando conflitos sem necessidade e situações embaraçosas no ambiente de trabalho por conta desse “disse me disse”.

Portanto, tenha sempre em mente que esse tipo de comportamento, além de criar inimizades e estimular desavenças, colabora negativamente para sua imagem profissional e pode, inclusive, levá-lo a ser desligado da empresa por justa causa.

 

Aceite críticas construtivas

Em alguns casos, todo profissional vai se deparar com uma crítica feita, seja por um colega, seja por um superior. Em tais momentos, é fundamental ter o entendimento de saber separar o que, de fato, é um comentário construtivo do que não passa de uma opinião negativa e desdenhosa.

Do contrário, você vai enfrentar todo e qualquer posicionamento contrário ao seu apenas como implicância ou provocação gratuita — o que pode impedi-lo de identificar os seus erros e reavaliar a postura que tem.

Por essa razão, permita-se (mais uma vez) a ouvir o que o outro tem a dizer, mostrar que tem maturidade profissional para lidar com um feedback acerca das suas ações e tirar proveito disso para potencializar o próprio desempenho.

 

Aprenda a expressar seus sentimentos com sabedoria

Tem alguma coisa ou algo que lhe incomoda? Não tenha medo de ir lá e solucionar. Apenas tenha em mente que os nossos sentimentos podem ser expostos, desde que com bom senso.

Uma crise de choro no escritório não é bem-vista, pois apesar de você ser um profissional competente, isso pode ser visto como desequilíbrio emocional. Se tem algo te chateando, tome frente e encontre uma solução.

 

Analise seu comportamento

Os problemas que você enfrenta no trabalho são resultados do comportamento das pessoas tóxicas, ou são por conta da sua própria conduta? Você já parou para avaliar isso? Nossas atitudes resultam em reflexos, portanto devemos estar sempre atentos com a maneira pela qual agimos para não termos, como resposta, atitudes que nos desagradem.

Avalie o seu comportamento e veja como você pode mudar a sua percepção em relação ao seu ambiente de trabalho. A melhora no clima organizacional pode acontecer quando a mudança parte de nós mesmos. Evite os conflitos no ambiente de trabalho e tenha dias mais tranquilos para desenvolver suas habilidades profissionais e procurar o seu crescimento na carreira.

 

Este artigo agregou valor e conhecimento para você? Então aproveite para curtir nossa página do Facebook e ficar por dentro de outros temas sobre a vida acadêmica e a vida profissional!

Até o próximo post!

Uma maneira simples e ágil de planejar o seu crescimento profissional

Posted Leave a commentPosted in Produtividade, Profissão

Às vezes é muito confuso planejar o crescimento de sua carreira. Experiências com empresas globais mais bem-sucedidas mostram que elas estão entre as que pouco investem no desenvolvimento de futuros talentos. Frequentemente, elas não são transparentes quanto às suas necessidades reais e são vagas quanto às opções de desenvolvimento mais eficazes.

O grande desafio é que você está competindo contra todos os indivíduos do seu setor que desejam ter um alto desempenho e sucesso. Se você desenvolver mais habilidades e competências mais rapidamente do que eles, você terá um desempenho melhor hoje, ganhará oportunidades para ter uma performance melhor no futuro e um ciclo virtuoso se iniciará. Então, como você pode traçar o caminho mais curto e certo para o sucesso na sua carreira profissional?

Em ascensão

As pesquisas sobre este aspecto são bem claras sobre como crescemos com mais sucesso: é uma combinação de aprendizagem no trabalho, social e formal, também conhecida como modelo 70-20-10. Este mantra derivado de pesquisa diz que cerca de 70% do seu crescimento profissional virá das experiências de trabalho que você tem, 20% virão de suas interações com os outros, e 10% virão da educação formal.

Pense no crescimento como um ciclo – realize com sucesso, receba feedback e volte a atuar de forma ainda melhor. As experiências impulsionam esse ciclo de progresso. Por isso, você precisa entender quais experiências são mais importantes e adquirir o maior número delas o mais rápido possível. Para começar, você precisa ser muito claro sobre o seu ponto de partida e destino desejado nessa jornada de desenvolvimento – um aspecto óbvio que muitas vezes acaba faltando em um plano de desenvolvimento.

Dois passos principais para crescer mais rapidamente são:

  • Determine o início (onde você está) e o fim (aonde desejar chegar).
  • Obtenha as experiências e crie um esquema de experiência pessoal.

Determine o seu início e o ponto de chegada

Vamos fazer uma analogia aqui; se você quiser rotas a partir do Google Maps, seu aplicativo solicitará duas informações: sua localização atual e o local desejado. Quanto mais precisamente inserir cada coordenada, maior será a probabilidade de chegar aonde você deseja ir usando a rota mais rápida possível. Seu processo de crescimento deve seguir exatamente o mesmo caminho, especificando claramente onde você está hoje e seu destino almejado.

O desafio para muitos de nós é que estamos desorganizados sobre nossa origem e destino final. Muitas vezes, pensamos que estamos começando em um ponto de partida e que atingimos o objetivo, mas que na verdade estamos a centenas de quilômetros de nossa meta.

Vejamos alguns exemplos de afirmações de (início) / para (ponto de chegada) –  uma descrevendo onde você está hoje e outra descrevendo seu próximo (não o último) destino:

De um colaborador individual que agrega valor por meio de conhecimento técnico e segue fielmente as instruções dos outros, para um líder de pessoas que cria uma estratégia clara e fornece resultados por meio de uma pequena equipe.

De um estrategista de negócios que pode parecer indiferente e desinteressado daqueles com menos conhecimento intelectual, para um gerente geral que alinha e inspira sua região através de conexões pessoais e demonstra um cuidado genuíno com as pessoas.

Estas declarações de / para são exemplos reais de executivos bem-sucedidos que fizeram um progresso tremendo quando suas necessidades foram identificadas. Ambos os líderes são agora CEOs – um de uma cadeia de varejo de US$ 10 bilhões e outro de uma empresa especializada em óculos.

Para traçar um crescimento na carreira de forma objetiva e de sucesso, você precisa validar algumas informações com alguns superiores e colegas de confiança, pedindo uma opinião extremamente sincera de onde você está e para onde deve ir. Para as pessoas entenderem o que você está buscando, se faz necessário exemplificar como foi feito anteriormente, e pedir-lhes para pensar sobre o seu estágio em que se encontra na carreira e até onde deveria ir. Diga-lhes para serem brutalmente honestos, porque a transparência deles permitirá que você cresça mais rápido.

Use seu ponto de partida para criar e traçar caminhos até o seu objetivo final. Quais desses objetivos e metas parecem ser mais diretos? Quais deixam você mais desconfortável? O quão longe você está para que seja possível alcançar sua meta? De quem é a opinião que você mais confia? Tendo tudo isso bem claro, agora você pode se concentrar em acelerar seu crescimento profissional.

Planejamento de carreira

 

Crie sua lista sobre referência de experiência pessoal

Como a proporção 70-20-10 diz que as melhores experiências aceleram seu desenvolvimento, você vai querer entender quais experiências vão construir sua carreira e, o mais importante, as poucas e mais poderosas experiências que podem lhe ajudar a conquistar seu objetivo na carreira profissional. Uma relação de experiências tanto pessoais quanto profissionais sempre atualizadas ajudará você a traçar seu caminho.

Ao fazer uma lista de experiências é possível identificar quais delas poderá realizar no período de dois a cinco anos para agregar valor à sua carreira. É um documento de planejamento prático de carreira que descreve como e o que precisará fazer para alcançar o seu melhor desempenho.

Existem dois tipos de experiências que irão acelerar o seu desenvolvimento – experiências funcionais e experiências de gestão. As experiências funcionais ajudam a torná-lo ótimo em algo, por exemplo: marketing, cadeia de suprimentos, P & D, programação. Eles permitem que você prove que é altamente competente no que faz. As experiências de gerenciamento ajudarão a provar que pode executar ou gerenciar uma variedade de situações desafiadoras. Você não é apenas um grande profissional de marketing em uma região, mas comprovou que pode liderar o marketing quando tem uma nova equipe, em uma situação de recuperação e em um lugar diferente.

Quando você atinge com sucesso com essas experiências desafiadoras, acaba comprovando para sua empresa que você é um líder versátil que merece uma chance com maiores desafios e responsabilidades. Você pode criar sua lista de experiência pessoal depois de:

  • Entreviste especialistas de sua área. Os melhores e mais brilhantes profissionais de sua área podem ajudá-lo a entender quais experiências o colocarão no top 10% e se tornará um especialista. Entreviste esses líderes para saber quais experiências irão construir sua excelência funcional. As entrevistas fornecerão a matéria-prima para criar uma relação de experiências pessoais a buscar.
  • Identifique especialistas dentro e fora de sua empresa. Entreviste os melhores da sua área, não apenas os melhores da sua empresa. Se você quer ser um diretor financeiro, identifique cinco deles que você admira ou que são bem-conceituados em seu setor. Por exemplo, se o seu objetivo é ser excelente na fase inicial de pesquisa e desenvolvimento do ramo farmacêutico, é o mesmo processo. Encontre os líderes nas listas “melhores” do setor (melhor diretor de marketing, diretor de informações etc.), em artigos em revistas especializadas, em listas de palestrantes em conferências relevantes ou em referências de líderes de sua empresa.
  • Solicite uma entrevista. Mande um e-mail para cada líder, pedindo uma conversa informal em que eles poderão contribuir no desenvolvimento da carreira profissional.
  • Peça insights. Durante sua ligação, pergunte a eles: “Quais são as principais experiências funcionais (não necessariamente trabalho) que acredita que podem contribuir para atingir a alta performance (gerente geral, arquiteto de TI, diretor financeiro)? Ou, “Descreva o que você destacaria no currículo de alguém que é excelente em _______”. Se você estiver com problemas para obter informações de qualidade, pergunte sobre as experiências mais valiosas que tiveram em suas próprias carreiras.

 

Construa seu plano de crescimento na carreira

Revise suas anotações de entrevista e liste as experiências que seus entrevistados descreveram. Nem tudo o que você ouviu será útil; algumas informações se sobrepõem ou contradizem o que outro entrevistado disse. Seu objetivo é classificar essas informações para encontrar as poucas experiências que mais acelerarão sua carreira.

Uma experiência deve descrever um resultado comercial significativo como – abrir uma nova instalação de produção, liderar uma equipe grande ou fechar uma grande parceira de negócios. Deve englobar sua capacidade funcional ou de liderança; sua realização deve significar algo para os outros em sua área de atuação.

As experiências funcionais que você precisa para ter um alto desempenho serão exclusivas para sua profissão, mas as experiências de gerenciamento serão muito semelhantes entre as demais profissões. As experiências de gerenciamento aumentam as competências que são valiosos para todos os gerentes, independentemente de sua função. Para simplificar, você pode usar essas experiências para traçar suas metas e objetivos:

  • Experiências de ciclo de vida: Lidere em diferentes departamentos da sua empresa ou etapas de produção: uma situação de recuperação, uma startup, um ambiente estável, um mercado em desenvolvimento ou um mercado totalmente maduro.
  • Gerenciando experiências: Qualifique uma equipe de baixo rendimento, lidere uma grande equipe, gerencie uma equipe em que você tenha influência, mas não autoridade, lidere em um ambiente matricial, lidere em um ambiente altamente político.
  • Experiências geográficas: tenha experiências profissionais fora da sua zona de conforto, busque oportunidades em projetos globais.

 

Por fim, selecione de quatro a sete experiências funcionais e de três a quatro experiências de gerenciamento que você acredita que mais o beneficiarão e relacione-as em seu caminho de experiência pessoal. Sua lista deve ser focada e realista – uma fonte para referência que você usará regularmente para planejar seu crescimento, acompanhar e avaliar seu progresso.

Essa listagem de experiência pessoal equivalerá a um guia para aumentar continuamente o seu alto desempenho. Cria-lo será um dos seus melhores investimentos de tempo. Reveja o conteúdo sempre que mudar de emprego ou de empresa e, pelo menos, de seis em seis meses, para garantir que continua a ser um guia útil e atual.

Obter um crescimento profissional mais ágil não é fácil, mas é muito mais simples quando você tem clareza sobre sua origem, seu destino e a rota mais rápida e orientada a experiências entre os dois – o início e ponto de chegada. Conheça o site Clube do Trabalhador e conheça os cursos online que poderão lhe ajudar nesse processo de ascensão e busca por seus objetivos.

Espero que tenha contribuído com o seu planejamento de carreira profissional!

Até o próximo post.

Conheça 10 dicas para melhorar o uso do Microsoft Word

Posted Leave a commentPosted in Cursos do Clube, Produtividade

O Microsoft Word é uma ferramenta indispensável, utilizada pelas principais empresas do mundo. Por isso, é importante aprender a utilizar as principais funcionalidades do Microsoft Word, dos conceitos básicos até as Normas da ABNT e as configurações avançadas.

Apesar de ser aparentemente simples e com funcionamento intuitivo, neste post serão apontadas possibilidades avançadas do uso do programa, como correções, backups e tradução de textos, entre várias outras funções que podem tornar a vida do usuário muito mais simples e eficaz — até porque há sempre algo novo para aprender. Confira!

1. Traduza o texto de uma só vez

A partir da versão do Word 2013, é possível fazer as traduções dentro do próprio documento. O atalho é: Revisão > Traduzir. Depois, é preciso escolher se a tradução vai ser aplicada no arquivo inteiro, em apenas um trecho ou traduções rápidas como pequenas frases e palavras específicas. Ao lado da opção, você encontrará a ferramenta para selecionar o idioma desejado.

 

2. Insira comentários

A ferramenta para acrescentar comentários é útil para inserir informações extras ao arquivo. Para usar, é só marcar um trecho do texto e clicar com o botão direito do mouse. Selecione “Novo Comentário” para abrir um campo de texto em um painel à direita; desse jeito você substitui o papel comum pelo computador.

 

3. Produza textos sem erros

De nada resolve criar um documento no Word com boa formatação se o texto estiver com erros de ortografia e gramática, não é mesmo?

O programa permite a você corrigir automaticamente seu texto sem precisar se preocupar com erros. Do contrário, para evitar correções indesejadas, também é possível solicitar que não sejam feitas mudanças automáticas nas palavras. Para desligá-la, vá ao menu “Arquivo”, “Opções” e escolha a aba “Revisão de texto” para mudar as “opções de autocorreção”.

 

Em “revisão de texto”, é possível personalizar de forma automática como prefere a correção. Adicionando os comandos certos, a tendência é escrever textos com muito mais agilidade.

 

4. Padronize textos com letras maiúsculas e minúsculas

Uma das sacadas do Microsoft Word que nem todo mundo sabe da existência é mudar palavras de maiúsculas para minúsculas ou ao contrário sem grande dificuldade. O atalho é interessante usar quando você já escreveu algo, mas acabou percebendo que deveria ter utilizado de outra forma. É necessário selecionar o texto e pressionar as teclas Shift e F3 ao mesmo tempo.

 

5. Conheça como hifenizar o texto

A hifenização é um processo de divisão de palavras no final de cada linha de um parágrafo. É uma técnica que pode deixar seu texto mais confortável para ler, além de reduzir a quantia de páginas do documento sem que você mexa na dimensão do texto. Pressione a guia layout da página e escolha “hifenização”. O programa oferecerá uma lista de alternativas que você poderá escolher entre nenhuma, automática ou manual.

 

6. Converter tabelas em gráficos

Criar um gráfico é tarefa simples no Word. Primeiramente, crie a sua tabela, selecione-a e faça os seguintes passos: Inserir > Objeto > Gráfico do Microsoft Graph > Ok.

Agora, basta editar manualmente, caso precise, todas as informações do seu gráfico.

 

7. Localize sinônimos

Um texto com muitas palavras repetidas pode demonstrar pobreza de vocabulário e conteúdo, o que pode distrair e dispersar o leitor. Se você está escrevendo ou editando um texto e não quer repetir as palavras, o Microsoft Word possui um recurso que mostra possibilidades de sinônimos. É só clicar com o botão direito do mouse na palavra que deseja substituir no corpo do texto. Depois, escolha uma das palavras sugeridas.

 

8. Listar suas referências

O Microsoft Word permite que você estruture sua própria biblioteca, permitindo fazer referências mais rápidas dos arquivos que estão sendo pesquisados. Na aba “referências”, vá até o ícone “gerenciar fontes bibliográficas”. Uma janela será aberta, clique em “nova” e preencha os dados da sua referência.

A mesma ficará salva para futuras consultas. Outra dica é incluir citações com maior agilidade o que pode ser muito útil na hora de formatar um documento como TCC. Também na aba “referências” do menu, clique em “inserir citação” para abrir uma janela e informar os detalhes, começando pelo tipo de fonte — como livros, artigos, revistas e sites.

9. Editar arquivos em PDF

Você sabia que para editar arquivos PDF, você não precisa ter no computador outros recursos e aplicativos, como o Adobe?

O próprio Word disponibiliza essa função, apesar de poucas pessoas saberem. Basta clicar com o botão direito no arquivo em PDF e ir em abrir com Word, que ele já aparecerá disponível para edição.

 

10. Ocultar textos

Por mais incrível que possa parecer, esconder um texto no Word é um recurso útil e é bastante usado para esconder as respostas de um questionário, por exemplo. Assim como é fácil esconder um trecho ou uma frase, também é simples de fazê-los aparecerem.

Primeiramente, selecione o texto, clique na aba “Fonte”, marque a caixa “Oculto” e clique em “Ok”. Para o texto voltar a ser exibido, basta selecionar o documento e repetir o processo, mas desmarcando a caixa.

Desenvolver suas competências pessoais e os conhecimentos necessários é um caminho importante para obter o sucesso profissional. Conhecer as dicas do Microsoft Word é uma possibilidade para ter um diferencial no mercado de trabalho e encontrar novas oportunidades.

Agora que você já aprendeu novas funcionalidades do Word que ajudarão a desenvolver um trabalho mais completo e profissional, o que acha de acessar o site do Clube do Trabalhador e conhecer o curso online de Word 2016?

Até o próximo post!